O Lançamento de projéteis na Física Aristotélica e na Física Newtoniana



Dentro de um processo evolutivo, podemos destacar a física da antiguidade e de lá citamos o filósofo grego Aristóteles e sua contribuição nas diversas ciências inclusive na física. A ciência grega estudava os fenômenos da natureza considerando o maior número de elementos integrantes deste fenômeno, ou seja, através da observação, várias peças compunham o quebra-cabeças que era a análise e formulação de princípios que descrevessem a natureza.

O lançamento oblíquo de projéteis foi explicado por Jean Buridan,um discípulo de Aristóteles, sob a influência das concepções aristortélicas, através da teoria do ímpeto.

A teoria do ímpeto descreve a trajetória de um projétil com base nas relações entre um ímpeto comunicado inicialmente e o ímpeto do peso do projétil. De modo que quando lançado, o projétil recebe um ímpeto inicial que é bem maior que o ímpeto de seu peso, porém este ímpeto inicial vai diminuindo até quando o ímpeto inicial cessa, restando apenas o ímpeto do peso que faz o projétil cair verticalmente.

A Física Clássica ou Newtoniana é uma outra fase da história da Física. A Física Newtoniana está marcada pela formulação de modelos que reduzem os elementos constituintes do problema a ser analisado, ou seja, as leis clássicas reduzem o número de peças do quebra-cabeça para obter leis limites, observáveis, cujos limites podem ser obtidos experimentalmente.

A luz da mecânica newtoniana podemos descrever o lançamento de um projétil como um movimento em duas dimensões. O projétil é lançado com uma velocidade inicial Vo e possui aceleração constante devido à ação da força gravitacional e descreverá uma trajetória parabólica. Este modelo é válido quando consideramos algumas hipóteses: o lançamento é feito acima de uma superfície plana, a altura máxima do lançamento é muito menor que o raio da terra (Rt = 6.370 Km), a resistência do ar não influi no fenômeno descrito.

Porém se considerarmos a resistência do ar que envolve o projétil no fenômeno estudado e aumentarmos gradualmente a influência deste atrito causado pela resistência do ar, percebemos que a trajetória obitida tende a ser como a descrita por Buridan

Esta mudança conceitual pode ser observanda na animação interativa quando os parâmtros são alterados convenientemente.