Guia do Professor


I. Introdução

A aprendizagem significativa pode atuar como mecanismo eficaz na absorção e retenção de conhecimentos na estrutura cognitiva do aprendente. Este objeto de aprendizagem é um mecanismo que propicia ao aluno a formação de significados psicológicos para o conteúdo específico nele abordado. Ele instiga os alunos a formarem seus conceitos sobre o tema considerado, proporcionando ao professor um clima mais interativo para o desenrolar do ensino presencial.


II. objetivos

A animação interativa deste objeto de aprendizagem objetiva fazer o aluno compreender os conceitos envolvidos no lançamento oblíquo de projéteis dando-lhes significado. Visa ainda instigar o aluno a refletir sobre a evolução da Física, visto que aborda na animação interativa em no texto "O lançamento de projéteis na Física Aristotélica e na Física Clássica" e ainda as consquências de cada abordagem na descrição dos fenômenos físicos. Os mapas conceituais obetivam ajudar na organização dos coneitos na estrutura cognitiva.

De maneira específica podemos dizer que o objeto de aprendizagem objetiva abordar conceitos como: força gravitacional, velocidade instantânea, variação de velocidade, aceleração da gravidade, vetores, forças dissipativas e resistência do ar.


III. Pré-requisitos

Destinado ao uso por alunos de Ensino Médio, este objeto de aprendizagem deve ser usado com a observação de alguns pré-requisitos. A animação interativa é um instrumento de modelagem da realidade através de um tratamento físico e matemático aceito pela comunidade científica. Mas esse tratamento não aparece explicitamente, de modo que o aprendente não pode dispensar o uso de um livro texto e a resolução de exercícios sobre o assunto. O aluno interage com o material potencialmente significativo mas precisa ter uma conceituação prévia sobre diversos conceitos abordados neste material.


IV. Tempo previsto

Não há uma indicação rigorosa no tempo necessário, entretanto indica-se que seja usada uma hora de aula expositiva, assim os alunos teriam um primeiro contato com o Objeto de Aprendizagem, mas sugere-se que eles sejam deixados livres para fazer as modificações que desejarem nos parâmetros das animações interativas, por um tempo que desejarem. Sendo reutilizado sempre que necessário.


V. Na sala de informática

A sala de computadores deve estar previamente organizada para que a atividade possa ter um maior aproveitamento.

É importante averiguar se os computadores possuem todos os plugins necessários para abrir o objeto de aprendizagem (no caso deste objeto: flash).

Os alunos devem ser instigados a anotar questões que precisem de pesquisa posterior, isto viabiliza a interação com um livro texto, com listas de exercício e outros recursos.


VI - Na sala de aula

A sala de aula é um espaço privilegiado para o diálogo e troca de experiências, assim é interessante instigar os alunos discursar sobre o que foi vivido na interção com o objeto de aprendizagem e resgatar conceitos trabalhados na aula onde foi usado o Objeto de aprendizagem.


VII - Durante a atividade

No início da atividade o professor pode fazer uma navegação básica na página inicial do objeto para que os alunos possam interagir mais adequadamente com o material.

Indicamos que sejam exploradas, através de discussões com os alunos, situações suscitadas tanto pela animação interativa quanto pelo mapa conceitual. Além disso é possível relacionar a eventos do cotidiano, como o lançamento de mísseis de guerra, o comportamento da bola (projétil) numa partida de tênis e outros eventos que forem sendo suscitados pelo professor ou pelos alunos.


VIII - Avaliação

Sugerimos uma atividade avaliativa para antes da utilização do objeto. Para simplificar o pré-teste, sugerimos a técnica de associação livre de palavras, onde o professor instigará o aluno a relacionar agumas palavras a outras previamente escolhidas e que estão vinculadas aos conteúdos chaves do lançamento oblíquo de projéteis.

Um pós teste pode ser feito com questões conceituais onde o aluno poderá discorrer sobre os principais tópicos abordados durante a utilização do objeto de aprendizagem.


IX. Atividades complementares

Para o pós-aula o professor pode indicar algum texto ou material complementar para serivir de aprofundamento.


X - Fundamentação teórica

Este objeto de aprendizagem fundamenta-se na teoria da Aprendizagem Significativa de Ausubel, e faz uso integrado da animação interativa, do mapa conceitual e de hipertexto conceitual. No sentido de aprofundar um pouco essas questões apresentamos em anexo os textos:

- “Aprendizagem significativa” publicado na Revista Conceitos - ADUFPB – No 10 – 2004

- “Animações interativas e mapas conceituais” apresentado no XVI Simpósio Nacional de Ensino de Física - Rio de Janeiro – 2005

- "Organizador prévio e animação interativa" apresentado no IV International meeting on meaningful learning - Maragogi - 2003.

- "Aprendizagem significativa e o ensino de ciências"

- "Concept map and interactive animation" aceito para apresentação no First International Conference on Concept Mapping - Pamplona - Spain - 2004

Nestes artigos pode ser encontrada uma bibliografia adequada para as pessoas interessadas em aprofundar seus conhecimentos sobre a Teoria da Aprendizagem Significativa de David Ausubel e os Mapas Conceituais de Joseph Novak.


XI - Sugestões de Leitura

Existem diversos livros que lançam um olhar mais atento para os conceitos de Física, além de vários livros textos que enfatizam a aprendizagem de conceitos e historia da ciência. Podemos sugerir os seguintes livros editados em português:

- Diversos (2001) Os porquês dos quês Gradiva - Lisboa

- Fiolhais, C (1999) Física divertida Gradiva - Lisboa

- Gonick, L; Huffman, A (1999) Introdução ilustrada à Física Editora Harbra - São Paulo

- Hamburger, EW; Mattos, CR; Simonetti, R; Gaspar, A; Ferreira, NC (2000) Física - 20 grau - Vols 1 e 2 - Telecurso 2000 Editora Globo - São Paulo

- Menezes, LC; Hosoume, Y (Coords) (1998) Leituras de Física - GREF - Vols 1, 2 e 3 EDUSP - São Paulo

- Perelman, J (1970) Aprenda Física Brincando Hemus Editora - São Paulo

- Rutherford, FJ; Ahlgren, A (1995) Ciência para todos Gradiva - Lisboa

- Walker, J (1990) O grande circo da Física Gradiva - Lisboa

- Zanetic, J; Menezes, LC; Hosoume, Y (Coords) (2001) Física - GREF - Vols 1, 2 e 3 EDUSP - São Paulo