Índice
Página Anterior   - Introdução
Próxima Página    - Pêndulo Balístico
Capítulo Anterior - TRABALHO E ENERGIA
Próximo Capítulo  -

8.2 Colisão Elástica

   Para dois corpos A e B em colisão elástica, não há perda de energia cinética (conservação da energia) entre os instantes antes e depois do choque. As energias cinética são escritas como

(8.6)

   A quantidade de movimento é conservado por ser nulo o somatório das forças externas e para os dois corpos A e B os seus momentos lineares antes e depois da colisão são dados por:

(8.7)

   Multiplicando-se a Eq. (8.6) por 2 e colocando-se as massas mA e mB em evidência, temos

podendo ser escrito como
(8.8)

   Reescrevendo a Eq.(8.7) após colocarmos as massas em evidência tem-se

(8.9)

   Dividindo-se a Eq. (8.8) pela Eq.(8.9) encontramos

(8.10)

em termos das velocidades relativas antes e depois do choque, a Eq. (8.10) terá a forma

(8.11)

Para o cálculo da colisão elástica, empregamos as Eqs. (8.7) e (8.11) em conjunto.

   A relação entre a velocidade relativa dos dois corpos depois do choque e a velocidade relativa dos corpos antes do choque é denominado coeficiente de restituição e, mostrado na equação (8.12)

(8.12)

   O coeficiente de restituição e assume sempre o valor e = 1 para a colisão perfeitamente elástica.

8.3 Colisão Inelástica

   Para dois corpos A e B em colisão inelástica, há perda de energia cinética, mas conservando-se a energia mecânica. Após o choque, os corpos deslocam-se em conjunto com velocides finais iguais e um coeficiente de restituição e = 0.

   Como é válida a conservação da quantidade de movimento

(8.13)

Links para simulações em Java

Colisões em uma dimensão
Colisões em duas dimensões
Colisões Elástica e Inelástica


© 2001 Todos os direitos reservados
José Nazareno dos Santos (Bolsista do PROLICEN)
Prof. Dr. Romero Tavares da Silva (Orientador)

Entre em contato conosco
jns@fisica.ufpb.br
emc@ead.ufpb.br
romero@fisica.ufpb.br
romerots@terra.com.br

Topo da Página