COLÓQUIO: Elétrons Fortemente Correlacionados nos Cupratos Supercondutores (Prof. Dr. Alvaro Ferraz – Instituto Internacional de Física/UFRN) Reviewed by Momizat on . Apesar da supercondutividade de alta temperatura ter sido detectada nos cupratos há quase 30 anos atrás ainda não há uma explicação consensual para esse fenômen Apesar da supercondutividade de alta temperatura ter sido detectada nos cupratos há quase 30 anos atrás ainda não há uma explicação consensual para esse fenômen Rating: 0
You Are Here: Home » Notícias » COLÓQUIO: Elétrons Fortemente Correlacionados nos Cupratos Supercondutores (Prof. Dr. Alvaro Ferraz – Instituto Internacional de Física/UFRN)

COLÓQUIO: Elétrons Fortemente Correlacionados nos Cupratos Supercondutores (Prof. Dr. Alvaro Ferraz – Instituto Internacional de Física/UFRN)

COLÓQUIO: Elétrons Fortemente Correlacionados nos Cupratos Supercondutores (Prof. Dr. Alvaro Ferraz – Instituto Internacional de Física/UFRN)

Apesar da supercondutividade de alta temperatura ter sido detectada nos cupratos há quase 30 anos atrás ainda não há uma explicação consensual para esse fenômeno e ainda há muita controvérsia sobre a física desses compostos. Os cupratos dopados com buracos se notabilizam por sua fase supercondutora do tipo d e por seu estado “pseudogap” que se manisfesta em dopagens baixas e em temperatura acima da temperatura supercondutora crítica. Ambas essas fases resultam de fortes interações elétron-elétron que se tornam ainda mais pronunciadas na vizinhança da transição de Mott para o estado antiferromagnético. Nós iremos apresentar uma visão geral desse problema e discutir alguns pontos chaves da supercondutivdade de alta temperatura que ainda permancem em aberto.

Leave a Comment

© 2013 Todos os Direitos Reservados UFPB
Criado por: Criative Design

Scroll to top